25.6.10

While nobody was paying attention, food quietly assumed the place in youth culture that used to be occupied by rock 'n' roll -- individual, fierce and intensely political, communal yet congenial to aesthetic extremes.

18.6.10

Atenas dá um aviso importante para quem se empolga com as Olimpíadas no Rio.

17.6.10

During the months after my father's debilitating stroke, his second wife divorced him, his bank accounts were emptied, his furniture disappeared, the cat ran away and a trio of booksellers purchased his book collection. When my father eventually regained his senses, he telephoned me with what really bothered him: "Where the hell are my books?"
Bruce Sterling, em uma entrevista sobre cidades.

16.6.10

15.6.10

14.6.10

Dia de Gibi Novo: The Push Man and Other Stories

Quando ouve-se falar em mangá, ouvimos dizer que há mangás sobre todos os temas e para todas as idades. Mas dificilmente vemos algo que não seja para o público infantil ou adolescente nas bancas ou livrarias - mesmo em edições americanas. The Push Man and Other Stories, de Yoshihiro Tatsumi, é um desses mangás que mostra a amplitude do gênero.

O volume coleciona histórias curtas publicadas no final da década de 1960. São histórias que ficam entre contos realistas contemporâneos e histórias de terror. O cotidiano se mistura a situações atrozes. Contos de assassinatos, prostituição e perversões sexuais são narrados de maneira melancólica e seca, tão sem sensacionalismo quanto os temas permitem.

O traço de Tatsumi é típico dos mangás da época: personagens caricatos e cenários extremamente detalhados. Os seus protagonistas parecem quase sempre seguir o mesmo modelo: um homem de trinta e poucos anos de feições brutas e olhos pouco inteligentes - um retrato convincente do homem comum que as histórias retratam.

Apesar da preferência por representar um mundo-cão, as histórias de The Push Man são muito interessantes. Tanto por seu retrato pouco espetacular do Japão de algumas décadas atrás quanto pela economia narrativa presente nessas histórias de oito páginas.

8.6.10

Viver de graça é o sonho freegan, mas ele parece dar muito trabalho.

7.6.10

Jack Chick é possivelmente o autor de quadrinhos mais lido no ocidente. Você conhce, mas não deve estar ligando o nome à pessoa.

4.6.10

Invasões soviéticas, plantações de papoula, fundamentalismo islâmico e ocupação americana fizeram o Afeganistão regredir décadas, como mostram essas fotos dos anos 50.

1.6.10

Usar a Internet e fazer várias coisas a mesmo tempo já são tão integradas à vida cotidiana que não fazê-los chama a atenção. Exemplos disso são o experimentos de se concentrar em uma coisa por vez durante um mês, se desligar da Internet ou fazer jornalismo totalmente offline.